Busca | Cadastre-se | Como Anunciar 
   
 CLASSIFICADOS
  
 Neg. & Oport.
   Empresas
   Equipamentos
   Serviços
   Outros
  
 Vagas
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Candidatos
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Cursos
  
 Vendo
  
  
 GUIA EMPRESAS
 Adestradores
 Aquários
 Associações
 Atacadistas
 Aviculturas
 Banho e Tosa
 Canis
 Clínicas
 Consultorias
 Criadores
   Aves
   Roedores
   Reptil/Anfíbio
   Primatas
 Distribuidores
 DogSitter
 Entidades
 Fabricantes
 Gatis
 Hotéis
 Informática
 Laboratórios
 Padarias
 Passeadores
 PetShops
 Rações
 Representantes
 Serviços
 TaxiDog
  
 Lançamentos
 Reportagens
 Consultoria
 Dicas
 Veterinários
 Eventos
 Legislação
  
 Fórum
 Agility
 Raças
 Meu amigo Pet
 Pássaros
  
 PROMOÇÕES
 Busca
 Cadastre-se
 Como Anunciar
 Contato
  

   

Artigos para veterinários

Vacinas de DNA

Novas candidatas a vacinas estão sendo desenvolvidas em diversos países, utilizando a tecnologia do DNA. A promessa de vacinas contra doenças que antes não poderiam ser evitadas com imunobiológicos tradicionais é a tônica desses experimentos.

A idéia principal é a de introduzir pedaços de DNA advindos do agente que se quer combater, nas células do animal ou ser humano, através de equipamentos próprios, como microinjetores. Esse pedaço de DNA vai ser, então, reconhecido pela célula do animal e vai produzir as substâncias (normalmente proteínas) que seriam naturalmente sintetizadas pelas bactérias ou vírus, ou qualquer outro agente, fazendo com que o organismo hospedeiro reconheça e produza imunidade contra essas substâncias e, assim, cria-se a possibilidade da prevenção contra o aparecimento das doenças-alvo.

Um exemplo de pesquisa em desenvolvimento de vacina com DNA é a utilização de pedaços dos genes do vírus da diarréia bovina (BVD). Outras inovações que devem acontecer concomitantemente são: possível mudança das rotas de administração das vacinas, quantidade de doses necessárias para imunizar e técnicas de imunização.

As vacinas comestíveis, por exemplo, utilizam a tecnologia de DNA, sendo que a administração seria feita através da ração ou folhagens, que tiveram implantados nas suas células extratos de DNA do agente que se quer combater.

VANTAGENS DA TECNOLOGIA DE DNA

As principais vantagens seriam: a fácil manipulação e produção dos produtos engenheirados; potencial para melhorar a resposta imune dos animais; resultados assegurados e controlados; possibilidade de diferenciar animais vacinados dos doentes; extremamente termoestável, não havendo a necessidade da cadeia de frio; baixo custo de produção e manutenção.

DESVANTAGENS DA TECNOLOGIA DE DNA

As principais desvantagens seriam: dificuldade para conhecer todas as partes do DNA do agente de interesse, selecionar e correlacionar os fragmentos com a função; possibilidade da indução de uma doença auto-imune; integração do DNA no cromossomo do hospedeiro causando mudanças genéticas, que poderiam levar ao câncer; indução de tolerância do hospedeiro às substâncias estimuladas pelo DNA.

BARREIRAS DE COMERCIALIZAÇÃO

As principais barreiras de comercialização são: custo de produção total, eficácia, segurança, aspectos éticos e sociais.

Para produção é preciso desvencilhar-se das diversas patentes já registradas e, portanto, do pagamento de royalties para as empresas detentoras dessas propriedades intelectuais.

No tocante a eficácia, ainda não foi possível chegar a conclusão do quanto de material genético é preciso, no caso da vacina, ou sobre a validade da garantia dos resultados com relação aos animais engenheirados. Métodos de avaliação desses pontos também estão em desenvolvimento.

A segurança é outro ponto fortemente debatido, seja através dos alimentos engenheirados (plantas e animais), seja através da inoculação de vacinas com esse material genético, devido a imprevisibilidade da reação do organismo receptor. Por mais que sejam colocados a prova, os pesquisadores sabem que existem pontos ainda obscuros quanto a possíveis reações indesejáveis.

E, finalmente os aspectos éticos e sociais, que também estão sendo amplamente discutidos. Os grupos ambientalistas fazem a maior pressão negativa nesse caso, impedindo a liberação de produtos que já poderiam estar no mercado e influenciando o consumidor.

Comparação da Vacina de DNA com outras formas mais tradicionais de produzir vacinas:

 VACINAS VIVASVACINAS DE SUB-UNIDADESVACINAS GÊNICAS
RESPOSTA IMUNEAmplaBasicamente Anticorpos (Humoral)Basicamente Celular
CUSTOMuito baixoVariávelBaixo
SEGURANÇAVariável e imprevisívelExcelenteBom (?)
EFICÁCIANormalmente altaAlta/BaixaDesconhecida
ANÁLISE DO PRODUTOMuito difícilNormalmente fácilFácil
TECNOLOGIA NECESSÁRIAEstabilidadeAdjuvantesFormulação
FONTE: ELLIS, R.W., 2001.

Bibliografia

- Technology Review - www.technologyreview.com
Review. Veterinary Immunology and Immunopathology, v.76, p.1-23, 2000.
ELLIS, R.W. Technology for the design, discovery, formulation and administration of vaccines. Vaccine, 19, p.2681-87, 2001.

Duachais Saúde Animal e Consultoria Veterinária Ltda-ME (www.duachais.com.br). Maiores informações e contatos através do e-mail contato@duachais.com.br.

voltar...